De Conchas, as Pérolas.

 

VOLTAR

 

Vejo ao longe daqui do meu mirante

O verde na paisagem se espalhando,

Conchas e o horizonte circundante,

 

E no vale a várzea e o ribeirão coleando

Em meio ao pedregulho que, distante

No tempo vem assim solto, rolando

 

Junto às conchas que se abrem dadivosas,

Que além do cálcio e o serem tão mimosas,

 

Podem aos filhos pérolas dar,

Que são os talentos seus, a burilar.  

Conchas, 05/03/2004. do livro: “Do Poeta a Inspiração, Do Mestre as Lições e Outros Poemas”.

E-mail: poesiamalheiro@fdnet.com.br

 

Controle: Poema2.htm